22 julho, 2007

Espero que compreendam


Venho partilhar convosco o dia mais difícil da minha vida, aquele em que tudo podia ter acabado, em que o sonho podia ter desaparecido.
Na passada 4ªfª, cerca ds 12h50, senti um forte cólica e dirigi-me à casa de banho, pensava que era uma cólica renal porque tinha comido um biscoito e pensei que podia já não estar bom. A cólica não passava, tentei vomitar e não consegui, comecei a suar, a ficar toda molhada, olhei-me no espelho e assustei-me com o que vi...eu estava amarela, parecia que estava morta, percebi que se passava algo mas não entendia o quê.
Respirei fundo, tentei controlar a minha própria respiração, abri a torneira do lavatório o coloquei as mãos debaixo de água, senti que podia desmaiar a qualquer momento, sabia que não podia deixar isso acontecer, era hora de almoço e estava sózinha. A minha barriga inchou, não consegui apertar o cinto que vestira de manhã, ganhei força e dirigi-me à minha sala, liguei ao meu marido, disse-lhe que não me estava a sentir bem, disse-me para aguentar. Desliguei o computador, arrumei os papéis, a dor aumentava mas eu sabia que tinha de aguentar. Saí do trabalho e dirigi-me para o carro, entrei e esperei que o meu marido chegasse.
Poucos minutos depois ele estava comigo, seguimos para as urgências do hospital mais próximo, eu já não conseguia estar direita, entretanto o meu marido falou com o pai que pela descrição do meu estado alertou para a hipótese que eu não considerei:
"- Pode ser uma gravidez ectópica!"

Na triagem o meu marido alertou a enfermeira, ela levou-me para as urgências, falou com um médico, a seguir levaram-me para outro serviço, eu já estava a desesperar, sentada numa cadeira de rodas, sem abrir os olhos, queriam que eu me levantasse, estava cheia de dores, mal ouvia as perguntas dos médicos...depois de saberem a data da última menstruação, de me apalparem a barriga,passei para uma cama e mandaram-me para o bloco de partos, mais uns minutos de espera (apesar das dores percebi que quando entrei no serviço estavam a sair os médicos que depois me iriam ver, da forma como eu estava não deviam ter voltado logo para trás? adiante...).

Os médicos vieram ao fim de vários minutos, que a mim me pareceram horas, começaram a fazer as mesmas perguntas, passei para uma maca ainda pelo meu pé mas a partir daqui não fui mais capaz...
Na maca observaram-me, eu sentia-me fraca, não estava a conseguir pensar direito, estavam muitas vozes à minha volta, quando me disseram para me levantar para ir fazer a eco eu caí, tenho a plena consciência que podia ter sido aqui que tudo acabava. Eu senti que me estava a ir embora, que estava a querer sair de dentro de mim e percebi que não podia, que não podia deixar. A médica percebeu o que se estava a passar, começou a gritar por mim, a dar ordens a todos os que estavam à volta, se a reacção não fosse imediata podia ter sido o fim.
Tentei manter-me atenta, eu precisava perceber o que se estava a passar à minha volta não podia perder os sentidos, fizeram-me duas ecos e a análise ao sangue.

"- Confirma-se a nossa suspeita, é uma gravidez ectópica, vamos ter que operar imeditamente."

Ao contrário do que aconteceu na primeira ectópica, em Fev. de 2003, nem sequer me preocupei com ficar ou não com a trompa, só queria que o sofrimento acabasse.
Começaram a preparar-me, perguntei pelo meu marido, se o podia ver antes, não me deixaram, nesta altura deviam ter passado cerca de 2 a 2,5 horas desde que entrara nas urgências e ele não sabia nada do que se estava a passar.
A médica anestesista queria dar-me a epidural mas não me conseguia imobilizar com as dores, o meu coração não estava bem, a tensão estava 8/5, estava a perder muito sangue internamente, a trompa tinha rebentado.

O sangue espalhava-se dentro de mim e comecei a sentir os musculos a "atrofiar" no peito e nos ombros, só me diziam que era normal e eu só pensava que queria adormecer para não sentir mais nada.

Levei anestesia geral, não sei quanto tempo passou, acordei, disseram-me que tinham retirado a trompa, suspirei de alivio, abri os olhos e vi o meu marido e os meus pais que me acompanharam enquanto encaminhavam a cama para o quarto.

O periodo tinha andado esquisito, apareceu a 19/abril, comecei o ttt para a iiu, foi cancelado a 7/maio. Apareceu a 8/junho, durou 15 dias, liguei para o hospital, tomei uns comprimidos e parou. Reapareceu a 5/julho e durou mais 10 dias. Tinha começado a parar no domingo, dia 15.

Não fazia a menor ideia que estava grávida.
Como é que eu podia adivinhar?
A última vez que engravido é em 2003, tenho uma ectópica, nunca mais consegui e 4 anos e meio depois é que consigo engravidar e tenho outra?

Os médicos vão fazer um relatório para levar para o HSM, dizem que não vale a pena perder mais tempo e que no meu caso, perante tudo o que aconteceu, temos de partir para a FIV.

Se querem saber a verdade neste momento pouco me importa!

Eu podia ter morrido na 4ª feira, tudo podia ter acabado para mim e para nós, para o projecto de vida a dois que começámos a construir há mais de 6 anos.
Ter ficado tão perto da morte afectou-me, não estou a saber lidar com isto, regressei a casa e quando olho para as nossas coisas, para as nossas fotografias, começo a chorar.
Estou viva, por sorte, tenho de perceber qual a lição de vida que tiro daqui.

O meu marido é o meu herói, se vieres a ler estas palavras quero que saibas que te amo muito, que se não morri foi por ti e que me tens dado todas as provas de amor que me podias dar. AMO-TE!

Compreendam que com tudo isto tenho de me afastar por uns tempos, preciso recuperar fisica e psicológicamente. Quando tiver coragem regresso.
Um beijo.

17 Mimos on "Espero que compreendam"

Micas on 23 julho, 2007 11:53 disse...

Sem palavras....e com os olhos a "navegar"....só quero deixar-te Muuuuitos Beijinhos! Força!!

Não te isoles, procura apoio, na familia, nos amigos, em tudo o que tu realmente gostas, é o conselho que te posso dar.

Beijinhos,
Inês

Sem Desistir on 23 julho, 2007 15:53 disse...

Sem palavras mesmo...
Imagino o teu sofrimento, e acredito que precises de tempo para colocar as ideias no lugar.
Não te isoles!!
Felicidades e espero que voltes brevemente.
bjs

Anuska on 24 julho, 2007 10:55 disse...

Querida amiga, nunca pensei que a tua ausência se devesse a uma situação tão dramática! Espero que recuperes depressa e que fique tudo bem contigo. Muitos beijinhos e tudo de bom!

OD on 24 julho, 2007 12:34 disse...

Oh amiga s� te posso dar um beijo grande e desejar que recuperes rapidamente...
Beijo
Olinda

AEsperanca on 24 julho, 2007 12:42 disse...

Ola minha linda, fikei sem palavras. Miga muita força, e agora é recuperar essa saude, Beijinhos
sandra peixeiro

Anónimo disse...

Olá Barriguitas,

Nem sei o q te dizer... espero q estejas a recuperar bem e rápidamente.

Um beijinho muito grande e um abracinho muito apertado

Céu

Um dia vamos conseguir!!! on 24 julho, 2007 16:29 disse...

Bolas miga nem sei o que possa dizer....são nestas alturas que pomos tudo numa balança e tentamos perceber se vale a pena tudo o que passamos.....querida tenta ter força...

Beijocas

Patricia

IC on 25 julho, 2007 11:11 disse...

Lamento muito este sofrimento.Espero que recuperes rápido.beijo enorme.

kitty on 25 julho, 2007 20:29 disse...

Lamento muito, amiga...
Espero que recuperes rapidamente...
Beijinho

zanita on 27 julho, 2007 15:32 disse...

Amiga,

Fui agora apanhada de surpresa...lamento muito. A nossa saúde em primeiro lugar querida, fazes bem em te afastar, qd quiseres beber um cafezinho comigo diz qq coisa.

Bjs
Suzana

guida on 27 julho, 2007 17:15 disse...

Estou arrepiada...Quero desejar-lhe as maiores felecidades do mundo.
Força e um grande bem haja.

Birdie on 31 julho, 2007 15:50 disse...

Espero que recuperes rapidamente... Cá estaremos para te dar miminhos e apoiar no que fôr preciso.

Beijinhos carregados de força,

Birdie**

Sonia&Mi on 03 agosto, 2007 15:27 disse...

Muita coragem!

Paula Santos on 10 agosto, 2007 17:40 disse...

Amiga espero que recuperes depressa.
Muita força e muitos beijinhos cheios de miminhos.
Paula Santos

Peluxinho! disse...

Oh miga....

Vim hoje ao teu blog pq não sabia de ti há tanto tempo e deparo-me com isto... n estava à espera... desejo q melhores rapidamente, fisica e psicologicamente... Um beijo muito grande, cheio de carinho e muita força... Se precisares de um ombro sabes q estou perto...

Um xi-coração muito apertadinho!

Peluxinho

Bluemoon on 06 setembro, 2007 21:00 disse...

Coragem!!!!E as melhoras!

Anónimo disse...

Bem nem sei que diga...vim á procura de saber o que se passava contigo e....lamento imenso...descansa...FORÇA e estamos cá ok? BJS
CristinaF

 

Barriguitas e Gui Copyright 2008 All Rights Reserved Baby Blog Designed by Ipiet | All Image Presented by Tadpole's Notez